quarta-feira, novembro 21, 2007

Sonho de um homem ridículo

Eu sou um homem ridículo. No momento dizem que estou louco. Seria um título excelente, se para eles eu não permanecesse nada mais que ridículo. Mas de agora em diante não me zango mais; todo mundo é muito gentil comigo, mesmo quando caçoa de mim, e, dir-se-ia, mais gentil ainda naquele momento. Eu riria de bom grado com eles, não tanto de mim mesmo, quanto para lhes ser agradável, se não sentisse tal tristeza ao contemplá-los. Tristeza de ver que não conhecem a verdade, esta verdade só eu conheço. Como é duro ser o único a conhecê-la! Porém, eles não compreenderão. Não, não compreenderão.

Dostoievski

2 comentários:

Flavinha Roberta disse...

tenho sempre passado por aqui...Sou leitura assídua.
Espero q não se importe, adicionei seu blog nos meus links.
Abraço

ana marcela disse...

adorei!!!
ele era um homem tenso, denso, mas com humor...

abraços